Just another WordPress.com site

>BBB11: Ariadna levou no rabo, foi eliminada do BBB!

>
Foi novidade ela ser eliminada não é? Não!

A sociedade brasileira é machista e preconceituosa, como já demonstrado na edição passada do BBB e os ataques na avenida paulista, ela é transexual e se prostituiu, preconceito em dobro!

E o que ela fez para mudar a imagem de que o GLS é promíscuo, só pensa em sexo e etc…? Nada!
Ela só ficou falando sobre sexo e agarrando os homens que não dava nenhuma bola para ela. Fora que ela não contou para ninguém que ela era trans, não quer contar? Tudo bem, mas fica na sua tbm! Vai agarrar um hétero na televisão, expor ele as piadinhas, sem ele saber que você é trans? Isso é certo? Além do que ela só foi para o paredão pq era mulher e já tinha um gay lá….

Ela deveria ter jogado não só com os que estavam lá dentro, mas também com toda a sociedade, ter se mostrado mais comportada, com mais moral, mostrado que é uma pessoa comum como qualquer outra sem uma sexualidade exarcebada que uma sociedade abomina. Nessa sociedade é assim, apenas o homem hetero que pode pegar todas que fica com fama de gostosão, se for gay é sem vergonha e se for mulher fica com fama de puta! Uma pena, mas é assim! Foi sendo mais discreto e ficando na dele que o gay Jean Wyllys ganhou o BBB, não adianta ser de outro modo pois quem vota é o povão de cabeça pequena.

Espero que o BBB ajude ela crescer profissionalmente e que ela não acabe um ano depois fazendo um filme pornô.

Lembrando que ela não tem culpa de suas atitudes, pois faltou estrutura familiar para dar apoio em todos os sentidos para ela, familia essa que tava toda lá na Globo torcendo! Curioso não?

E mais uma perguntinha que não quer calar! Pq o namorado dela não apareceu qd o Bial chamou? Parece que eles foram jurados de morte por uma torcida de um time…

30 responses

  1. >Alem de tudo eu achava ela um pessoa do bem , agora é claro que teve preconceito ne ?

    January 19, 2011 at 12:51 pm

  2. >Concordo. Só não acho que foi preconceito, o tipo de atitude dela me incomoda em qualquer pessoa. É exatamente o que você disse, os gays já são mostrados na TV com o estereótipo de sempre, fúteis e promíscuos. Ela não fez nada para colaboarar para que isso mudasse. E também concordo com o ponto em que ela não revela seu segredo e tenta ficar com os homens. Acho que todo transexual deveria ter essa atitude. Quer ficar? Conte. Tem cara que não se incomoda. Tentar enganar os caras acho erradíssimo.

    January 19, 2011 at 12:59 pm

  3. >Mas gente não adianta querer cobrar uma atitude séria de quem não é.Ela é promíscua e ponto.Pelo menos ela pode dizer que ela foi ela mesma.Prefiro uma pessoa que seja sincera (por pior que sejam suas atitudes)do que um falso puritanismo!

    January 19, 2011 at 1:50 pm

  4. >Eu também acho errado e etc, mas sabe oq mais pega? é a generalização que fica pra gente.Dei uma lida em alguns comentarios em outros sites sobre a eliminação dela.. e me deparei com coisas do tipo "esse BBB tinha que ser mais sério… agora só tem gay e traveco, cade a cultura?" ah vai me desculpar, mas tendo gay, traveco, hetero ou bi, BBB NÃO é cultura!! quer cultura vai assistir Nat Geo, vai ler um bom livro… BBB só é legal pra admirar umas pessoas bonitas e olhe lá..Mano, to cansando do Brasil… é muita gente contra a gente… dá uma tristeza as vezes.. eu to sozinho nisso? =/

    January 19, 2011 at 2:58 pm

  5. >vale salientar que o bbb é UM JOGO em que todos tem que sair então esta foi a vez dela nao tem nada a ver

    January 19, 2011 at 3:01 pm

  6. >Renan, ela já foi trans…. Hoje ela é uma mulher, com tudo o que uma mulher tem…. Uma mulher super liberal e sem amarras sociais, mas uma mulher. Em 20, 30 anos vivendo como mulher ela ainda vai chegar nos bares e boates e: "Oi, meu nome é Ariadna, sou trans e quero ficar com você?" Ridículo… o que ela foi, já foi… já era….. E com relação a mostrar a sociedade que o gay é fútil e promíscuo … bom…. não somos não??? Eu não sou promíscuo mas tenho minhas futilidades que só eu entendo… 90% dos meus amigos são promíscuos, todos falam que querem encontrar o grande amor mas não lutam para isso, vivem saindo com um e com outro, dando para um e para outro … Acho que queremos esconder a realidade que nos rodeia e nos incomoda. Nós somos a sociedade, não nos damos ao respeito mas exigimos respeito, é assim no meio gay e fora dele, excluimos o que não entendemos e o que não toleramos.

    January 19, 2011 at 3:15 pm

  7. >Acho um absurdo este tipo de preconceito vindo de um blog voltado para o público gay, que já sofre tanto preconceito.De onde vcs tiraram que ela representava a imagem dos gays ou da communidade gls? Ela é mulher…Ela pode casar normalmente na igreja, já tem os seus documentos com o nome feminino etc.Ela não é travesti!!O problema da sociedade é que o gay para ser aceito tem que ser performatico,estilo serginho,ou assexuado estilo Jean.Quando eles se deparam com um gay mais "sexual" que coloca para fora os seus desejos e suas vontades, simplesmente vem a tona o preconceitos/discriminação.A eliminação da Ariadna só veio reforçar o tamanho do preconceito que ainda existe no nosso país com o diferente, seja ele negro,gay,trans,Gp etc.O que me preocupa é que o preconceito velado está crescendo muito.

    January 19, 2011 at 3:34 pm

  8. >Não vi preconceito nenhum…acho que houve erro dela de se comportar ali dentro… mesmo gay quando entro em um lugar desconhecido que tenho que conviver primeiro mostro o meu carater e inteligencia e com o passar do tempo que poucas pessoas vão saber e outras irão notar, porem quando perceberem e notarem eu ja estarei na frente pois ja mostrei as minhas qualidades…nesse sentido a sexualidade não interfere em nada.

    January 19, 2011 at 3:47 pm

  9. >concordo em partes…qdo diz que ela nao assumiu quem era, se escondeu atras da imagem de 'mulher', nao honrou o meio GLS…até aí blza, concordo que ela deeria ter sido verdadeira desde o começo….MAS na parte que diz que ela deeria ser mais recatada e tudo mais, nao concordo! é o jeito dela! o Jean era mais intelectual, parabens a ele! mas cada um tem seu jeito! se tem um lá que bota calcinha, pq ela nao pode falar de sexo? vai pagar de intelectual so pra passar imagem boa? ricidulo isso.

    January 19, 2011 at 4:19 pm

  10. >Foi por causa dessa "mentirinha" dela que ela foi eliminada. Se ela tivesse dito a verdade, quando quase todos os participantes jogavam indiretas pra ela, ela não teria ido para o paredão. E anônimo, não teve preconceito. Em momento algum. E ela foi bem hipócrita na casa, tinha que sair mesmo. Tenho 15 anos e ela superou qualquer garoto da minha idade na hipocrisia.

    January 19, 2011 at 4:27 pm

  11. >Pior do que preconceito, é preconceito vindo de pessoas que são alvo de preconceito. E sim A SAIDA DA ARIADNA FOI PURO PRECONCEITO.ok??não é pq a pessoa é gay, travesti, ou transex que é ela tem q se comportar "melhor" só pra facilitar as coisas, ou diminuir a reação do publico. E se vc se sentiu ofendido com as coisas que ela disse ou fez no programa, desliga a TV e volta pro santuario de onde vc saiu.

    January 19, 2011 at 7:10 pm

  12. >Nao demora muito e teremos a tal Diana agarrando a mulherada da casa, aí quero ver se ela vai sofrer pre-conceito ou se vao achar o maximo uma mulher dando em cima das outras.Nao se iludam o que existe nao é homofobia, e sim gayfobia!

    January 19, 2011 at 7:18 pm

  13. >concordo MUITO com o texto( menos na parte do filme, o corpo é dela se quiser fazer pornô parabéns. até eu quero ver) agora pelamor né? ela ser mulher?? acho que cada um deve viver como quer. mas ELA É TRANSSEXUAL. trans-formou seu sexo. acho legal, bacana, mas mulher tem útero, ovário, menstrua. eu mesmo acho que devia ser criado um outro genêro, trans- masculino e feminino. agora preconceito mesmo tá rolando com os outros dois. se formou um grupinho de heteros e eles são sempre excluídos. e acho que isso é por eles tão fugindo do padrão do serginho e dicésar(a bicha que quer ser mulher), que se vê em qualquer programa de humor. esses de agora são pessoas comuns e querem respeito. o daniel é um bom exemplo, dá muita pinta mas já reclamou que não quer ser taxado de "viado", e falou q nos últimos 3 anos só ficou com um homem. ou seja é gay, pintosa, mas não tá com a bunda na janela e nem quer ninguém cuspindo nele. isso sim acho um serviço à comunidade. ariadna só foi lá mostrar que travesti é bagunça.

    January 19, 2011 at 8:14 pm

  14. Tom

    >Minha opinião:Olha, falar do BBB é chover no molhado. O programa já está na 11ª edição, e com muito ibope – e, claro, lucro para a TV Globo. E parece que vai durar mais alguns anos… Ninguém é obrigado a assisti-lo, e quem o assiste, tem lá o seu ou os seus motivos.O país avançou muito no tema GLS. A realidade ainda não é o ideal, mas nem em países desenvolvidos o é. Então, porque teria que ser numa nação com péssimos índices em avaliações na educação, historicamente machista e patriarcal? As mulheres estão ganhando terreno agora. Com o tempo, se não retrocedermos, conquistaremos o nosso. Sobre ser promíscuo ou não, até onde eu sei, héteros também são. Ou como denominar os garotos héteros mulherengos (ou seja, aquele que come todas)? Puritanos? Acho que não… E nem todos os héteros são assim. Nem todos os gays. Nem todos os bi… E os que são, são. Qual é o problema nisso? Se você for religioso, talvez tenha. E muitos. Senão, vai dos seus valores pessoais. E vale lembrar: a testosterona não ajuda muito a nós, homens, a escapar do sexo e afins. Principalmente numa época em que você é estimulado 24 horas e em todos os lugares.Haja resistência!

    January 19, 2011 at 8:50 pm

  15. >Os homofobicos e religiosos que asistem o BBB estão até cuspindo veneno encima da comunidade GLBT ( Gays, Lesbicas, Transexuais,…), tudo graças a atitudes como a dele e de outros seres que estão ou estiveram na Televisão que fazem um grande favor aos Gays e Lesbicas que sofrem preconceito no Brasil. Parabens aos Diogos, Serginhos, que ajuda ainda mais a aumentar o preconceito e descriminação neste pais de merda e de ignorantes chamado brasil.

    January 19, 2011 at 9:21 pm

  16. >Gente, Boa noite pra vocês!Quero dividir com todos, algumas percepções que tenho. Concordo com alguns comentários que li, discordo de outros, mas acho super saudável discutirmos a respeito.Primeiramente, vale salientar que o Big Brother não é um jogo, e sim um programa de TV que, em parte da sua essência, é um investimento altamente comercial, muitíssimo bem sucedido, já que é o programa de maior audiência do país (em outras palavras, é o mais assistido pelos brasileiros nos últimos anos, e não estaria na 11ª edição se não fosse bem produzido, como de fato é, e rentável para a Rede Globo e patrocinadores).Muitos dizem que quem assiste a esse programa tem pouco “paladar” cultural e coisas do gênero. Embora assista pouquíssimo ao BBB, eu, sinceramente, discordo. Ver o comportamento das pessoas, as mais variadas reações diante de situações inusitadas ou triviais; isso pode ser muito enriquecedor. Um exemplo: Eu adoro o Café Filosófico (passa aos domingos na Cultura) que instiga reflexões sobre algum assunto escolhido. Além do Café ter pessoas extremamente qualificadas para os debates, a diferença entre os programas, é que, assistindo ao BBB, só reflete quem quer (quando eu digo que o BBB não tem pessoas qualificadas, não estou falando do Bial, que é excepcional e um verdadeiro poeta, estou falando dos participantes pouco intelectualizados). Ele (o BBB) não vai te obrigar a pensar, mas, se você quiser observar, dá pra extrair muita coisa (particularmente, quando eu consigo assistir, chego à conclusão de que estou cercado de ótimas pessoas, porque esse povo é muito chato! Rsrsrs!).A maioria das pessoas gosta de sexo e falar que existem muitos gays promíscuos, é, em parte, absoluta verdade. Isso porque, de maneira geral, o homem é promíscuo, independentemente da sua preferência sexual. Eu adoro sexo, mas achar que a vida gira em torno disso, é uma tremenda falta de maturidade (e pessoas imaturas são completamente incapazes de perceber isso). Talvez, a promiscuidade apareça mais nos gays, porque são dois seres se relacionando com essa característica (um homem “promíscuos” com outro homem “promiscuo”) e nos heterossexuais, muitas vezes a mulher neutraliza essa equação (um homem “promíscuo” com uma mulher +/- “promiscua”). Não estou acusando nem elogiando ninguém, mas homem geralmente gosta muito mais de sexo do que mulher.

    January 19, 2011 at 11:55 pm

  17. >Gosto bastante dos seus textos, mas uma coisa eu discordo.Se não aparecesse que ela é transexual, quem sairia no lugar dela seria o lucival

    January 20, 2011 at 12:13 am

  18. >Gente, Boa noite pra vocês!Quero dividir com todos, algumas percepções que tenho. Concordo com alguns comentários que li, discordo de outros, mas acho super saudável discutirmos a respeito.Primeiramente, vale salientar que o Big Brother não é um jogo, e sim um programa de TV que, em parte da sua essência, é um investimento altamente comercial, muitíssimo bem sucedido, já que é o programa de maior audiência do país (em outras palavras, é o mais assistido pelos brasileiros nos últimos anos, e não estaria na 11ª edição se não fosse bem produzido, como de fato é, e rentável para a Rede Globo e patrocinadores).Muitos dizem que quem assiste a esse programa tem pouco “paladar” cultural e coisas do gênero. Embora assista pouquíssimo ao BBB, eu, sinceramente, discordo. Ver o comportamento das pessoas, as mais variadas reações diante de situações inusitadas ou triviais; isso pode ser muito enriquecedor. Um exemplo: Eu adoro o Café Filosófico (passa aos domingos na Cultura) que instiga reflexões sobre algum assunto escolhido. Além do Café ter pessoas extremamente qualificadas para os debates, a diferença entre os programas, é que, assistindo ao BBB, só reflete quem quer (quando eu digo que o BBB não tem pessoas qualificadas, não estou falando do Bial, que é excepcional e um verdadeiro poeta, estou falando dos participantes pouco intelectualizados). Ele (o BBB) não vai te obrigar a pensar, mas, se você quiser observar, dá pra extrair muita coisa (particularmente, quando eu consigo assistir, chego à conclusão de que estou cercado de ótimas pessoas, porque esse povo é muito chato! Rsrsrs!).A maioria das pessoas gosta de sexo e falar que existem muitos gays promíscuos, é, em parte, absoluta verdade. Isso porque, de maneira geral, o homem é promíscuo, independentemente da sua preferência sexual. Eu adoro sexo, mas achar que a vida gira em torno disso, é uma tremenda falta de maturidade (e pessoas imaturas são completamente incapazes de perceber isso). Talvez, a promiscuidade apareça mais nos gays, porque são dois seres se relacionando com essa característica (um homem “promíscuos” com outro homem “promiscuo”) e nos heterossexuais, muitas vezes a mulher neutraliza essa equação (um homem “promíscuo” com uma mulher +/- “promiscua”). Não estou acusando nem elogiando ninguém, mas homem geralmente gosta muito mais de sexo do que mulher.

    January 20, 2011 at 12:15 am

  19. >(Continuando…)Agora, falando sobre a Ariadna, tenho uma certeza: Assim como ela não é um travesti, ela não é um mulher e nunca será (se a ciência não permitir). Ela é uma transexual e assim será pelo o resto da vida. Isso não é bom, nem ruim, é só um fato. Nos poucos momentos que vi, constatei que ela é extremamente promiscua, não é divertida, não tem carisma, não é bonita e tem uma porção de outras características que aumentam muito as chances dela sair da “casa” logo no começo (tanto que foi a primeira). Isso não é, nem de longe, preconceito.Sobre ela ter se prostituído, acho lamentável. Não estou sendo preconceituoso, mas simplesmente, isso vai de encontro aos meus valores morais. Com certeza, muitas pessoas acham a prostituição normal ou pensam que faz parte do “sistema”, assim como eu não vejo nada demais em uma gangue assaltar um banco (como o Itaú, Bradesco…), que tanto prejudica o povo e o nosso país.Eu li alguns comentários do tipo “ela tinha que ser isso, aquilo…tinha a obrigação de agir de forma tal, de ser assim, assado…” e blábláblá… Ela não tinha que falar, que agir, que ser NADA! O fato de ela ser uma transexual, não dá a ela o dever de errar menos que os outros e não a obriga a ser uma pessoa mais evoluída que as demais. Alguns aqui estão cobrando responsabilidades e atitudes, de uma pessoa que é meio perdida na vida (como várias outras).O fato dela ser pobre, ter vontade de ser mulher num corpo de homem, ter sido rejeitada pelo pai, pela tataravó, pelo papagaio… Nada disso serve pra justificar qualquer erro que ela possa ter cometido na vida. Tá cheio de gente que se mata de trabalhar pra trazer dinheiro pra casa, que com o pouco que ganha consegue ajudar um monte de gente, que não tem família mas sempre se esforça pra ser agradável com os amigos. Ela certamente precisa escolher melhor as companhias e, acima de tudo, querer ser uma pessoa cada vez melhor, pra tentar entender o mundo e buscar conhecer a si mesma pra se aceitar.

    January 20, 2011 at 12:16 am

  20. >Gente, Boa noite pra vocês!Quero dividir com todos, algumas percepções que tenho. Concordo com alguns comentários que li, discordo de outros, mas acho super saudável discutirmos a respeito.Primeiramente, vale salientar que o Big Brother não é um jogo, e sim um programa de TV que, em parte da sua essência, é um investimento altamente comercial, muitíssimo bem sucedido, já que é o programa de maior audiência do país (em outras palavras, é o mais assistido pelos brasileiros nos últimos anos, e não estaria na 11ª edição se não fosse bem produzido, como de fato é, e rentável para a Rede Globo e patrocinadores).Muitos dizem que quem assiste a esse programa tem pouco “paladar” cultural e coisas do gênero. Embora assista pouquíssimo ao BBB, eu, sinceramente, discordo. Ver o comportamento das pessoas, as mais variadas reações diante de situações inusitadas ou triviais; isso pode ser muito enriquecedor. Um exemplo: Eu adoro o Café Filosófico (passa aos domingos na Cultura) que instiga reflexões sobre algum assunto escolhido. Além do Café ter pessoas extremamente qualificadas para os debates, a diferença entre os programas, é que, assistindo ao BBB, só reflete quem quer (quando eu digo que o BBB não tem pessoas qualificadas, não estou falando do Bial, que é excepcional e um verdadeiro poeta, estou falando dos participantes pouco intelectualizados). Ele (o BBB) não vai te obrigar a pensar, mas, se você quiser observar, dá pra extrair muita coisa (particularmente, quando eu consigo assistir, chego à conclusão de que estou cercado de ótimas pessoas, porque esse povo é muito chato! Rsrsrs!).A maioria das pessoas gosta de sexo e falar que existem muitos gays promíscuos, é, em parte, absoluta verdade. Isso porque, de maneira geral, o homem é promíscuo, independentemente da sua preferência sexual. Eu adoro sexo, mas achar que a vida gira em torno disso, é uma tremenda falta de maturidade (e pessoas imaturas são completamente incapazes de perceber isso). Talvez, a promiscuidade apareça mais nos gays, porque são dois seres se relacionando com essa característica (um homem “promíscuos” com outro homem “promiscuo”) e nos heterossexuais, muitas vezes a mulher neutraliza essa equação (um homem “promíscuo” com uma mulher +/- “promiscua”). Não estou acusando nem elogiando ninguém, mas homem geralmente gosta muito mais de sexo do que mulher.

    January 20, 2011 at 12:16 am

  21. >Quero dividir com todos, algumas percepções que tenho. Concordo com alguns comentários que li, discordo de outros, mas acho super saudável discutirmos a respeito.Primeiramente, vale salientar que o Big Brother não é um jogo, e sim um programa de TV que, em parte da sua essência, é um investimento altamente comercial, muitíssimo bem sucedido, já que é o programa de maior audiência do país (em outras palavras, é o mais assistido pelos brasileiros nos últimos anos, e não estaria na 11ª edição se não fosse bem produzido, como de fato é, e rentável para a Rede Globo e patrocinadores).Muitos dizem que quem assiste a esse programa tem pouco “paladar” cultural e coisas do gênero. Embora assista pouquíssimo ao BBB, eu, sinceramente, discordo. Ver o comportamento das pessoas, as mais variadas reações diante de situações inusitadas ou triviais; isso pode ser muito enriquecedor. Um exemplo: Eu adoro o Café Filosófico (passa aos domingos na Cultura) que instiga reflexões sobre algum assunto escolhido. Além do Café ter pessoas extremamente qualificadas para os debates, a diferença entre os programas, é que, assistindo ao BBB, só reflete quem quer (quando eu digo que o BBB não tem pessoas qualificadas, não estou falando do Bial, que é excepcional e um verdadeiro poeta, estou falando dos participantes pouco intelectualizados). Ele (o BBB) não vai te obrigar a pensar, mas, se você quiser observar, dá pra extrair muita coisa (particularmente, quando eu consigo assistir, chego à conclusão de que estou cercado de ótimas pessoas, porque esse povo é muito chato! Rsrsrs!).A maioria das pessoas gosta de sexo e falar que existem muitos gays promíscuos, é, em parte, absoluta verdade. Isso porque, de maneira geral, o homem é promíscuo, independentemente da sua preferência sexual. Eu adoro sexo, mas achar que a vida gira em torno disso, é uma tremenda falta de maturidade (e pessoas imaturas são completamente incapazes de perceber isso). Talvez, a promiscuidade apareça mais nos gays, porque são dois seres se relacionando com essa característica (um homem “promíscuos” com outro homem “promiscuo”) e nos heterossexuais, muitas vezes a mulher neutraliza essa equação (um homem “promíscuo” com uma mulher +/- “promiscua”). Não estou acusando nem elogiando ninguém, mas homem geralmente gosta muito mais de sexo do que mulher.

    January 20, 2011 at 12:17 am

  22. >fiquei desiludido com a saida dela……:(

    January 20, 2011 at 12:19 am

  23. >EU ADOREI A SAÍDA DELA…CONCORDO EM NUMERO, GENERO E GRAU COM A POSTAGEM DO BLOG…ESSE TIPO DE GENTE Q SO DENIGRE MAIS AINDA A IMAGEM DOS GAYS…E QUE MULHER Q ELA É? FAÇAM-ME RIR…

    January 20, 2011 at 1:03 am

  24. >Em resposta ao colega acima, se você é fútil e promíscuo assim como seus amigos, problema seu. Eu, tenho meu lado fútil e adoro sexo, como qualquer bom ser humano, mas não vivo pra isso, e acho que ninguém deveria viver. Quando a Ariadna, me desculpem, mas é um transexual sim, não é uma mulher. Não tem tudo que uma mulher tem, nem a sensação de um cara transando com ela seria exatamente a mesma por vários motivos. Não digo que deve andar com uma plaquinha, mas acho legal se abrir antes de rolar algo sim, aos poucos. Não em casos de ficar, mas se é algo sério, ou em rede nacional como é o caso, tem que falar sim.

    January 20, 2011 at 2:16 am

  25. >E só pra constar, aos que dizem que não aguentam mais o BRASIL, olha, eu conheço alguns países, e garanto, estamos muito mais avançados na questão do preconceito viu. Não reclamem tanto não. Os Estados Unidos por exemplo estão beeem atrás. O preconceito lá é ainda maior, então vamos parar com esse discursinho de que o Brasil isso ou aquilo. A gente tá melhor que MUITOS nesse sentido. E o negócio é que homem é promíscuo, mulher é promíscua (mas esconde bem porque é conveniente né). Isso é do ser humano, mas tem hora e lugar. Quantas mulheres foram eliminadas de vários realities por serem consideradas putas? Aí com a Ariadna é preconceito, porque ela é transexual? Desculpa mas não acho que cola.

    January 20, 2011 at 2:22 am

  26. >Vejo pontos positivos e negativos em muitas das opiniões que li aqui e, particularmente, a do Tom, foi a que mais chamou a minha atenção, pela excelente sensatez que mostrou ao se expor.É fato que a presença no BBB 11 de Ariadna, Daniel e Lucival (com suas sexualidades declaradas ou descobertas) foi uma tentativa desesperada da direção de promover uma nova discussão sobre a sexualidade, já que a edição passada do reality não foi tão feliz no assunto. Ou seja, tiro no pé, porque ao invés de discussão tivemos polêmica, cuja maioria dos comentários que pude observar foram baseados no princípio que a palavra sexualidade tem mais peso que a palavra respeito. É incrível como mesmo hoje, é mais importante saber se você é gay, hétero, bi, travesti ou trans que saber se você é um cidadão com uma história de vida. Mas para que, né? Quem liga pra isso? Quem quer saber se Ariadna se sujeitou a uma operação de mudança de sexo, a uma mutilação fisiológica para satisfazer uma necessidade psicólogica de identidade, né? Ninguém… Ninguém deve querer saber também que para ela conseguir isso, ela teve que ir para a Itália se prostituir e realizar este sonho, sem dever, penso eu, ter passado por nenhum acompanhamento psicológico antes, durante e depois do processo de mudança. Ah, então eu devo sentir pena dela por isso? Não, até porque, se ela conseguiu ela teve motivação, teve objetivo e hoje ela consegue levar a vida com tanto humor que provavelmente tem mais energia que muita gente que reclama até de ônibus lotado. E eu volto a perguntar: mas quem liga pra isso, né? E a resposta é que poucos ligam e infelizmente não são os poucos que tem voz no nosso país.O caminho que nós sobra é o de cobrarmos alguém sério, que não seja afeminado, que não aparente ser promíscuo, e que, de preferência não seja trans para não causar mais polêmicas, para aí sim aparecer no BBB e nos representar. Só que nos esquecemos que Jean Willys foi este "bom exemplo", mas a realidade que temos aqui fora, é a de muitos gays diferentes do vencedor da quinta edição. Vamos encontrar Serginhos, Dicesars e Ariadnas, só que mesmo assim mais interessante que saber se estas pessoas aqui fora são afeminadas, gostam de se vestir de mulher ou tem um pênis ou não, seria procurar saber quem é esta pessoa. Enquanto todas as pessoas não começarem a entender que sexualidade e cárater não são sinônimos, mas apenas elementos que caracterizam o ser humano, elas vão ficar dando volta e batendo na mesma tecla para discutir se todo gay é promíscuo ou não e cuspindo palavras para simplesmente atacar uma realidade que desconhecem. Em síntese, falamos tanto em diversidade sexual, mas queremos que todos sejam iguais. Irônico, não?

    January 20, 2011 at 3:11 am

  27. >fala assim todo revoltadinho e parece que esquece que o jean (gay assumido na casa) ganhou o bbb5

    January 20, 2011 at 4:10 am

  28. >"Achei que é preconceito do blog, tenho certeza de que foi da sociedade brasileira tbem. Principalmente a sociedade que queria um comportamente "moralmente correto"; ela pecou em não ser ela, não a mulheR, mas o homen que optou pela mudança de sexo; o jogo era esse, atenuaria a fúria transloucada da sociedade que está pra julgar um trans, e colocar um tiririca como deputado federal EM BRASÍLIA, daí já se vê que tipo de mentes estão julgando o paredão! No último BBB elegeram aquele troglodita como campeão, o que queremos mais? O que devemos fazer em face disso é mudar nossos comportamentos de um modo geral, a começar por mim em relação a sociedade preconceitusa,é se defender na paulista de meia dúzia de héteros sem vergonhas que mamam na teta dos pais, e provar que apesar de nossos desejos não condizerem com o chamado "normal"; somos pagadores de contas, somos os melhores profissionais, estamos aLcançando maiores patamares, e que na hora de cobrarem tributos, taxas, etc., ninguém é gay; é trans ou hétero é simplismente CIDADÃO E INDIVIDUO, como todos devem ser NATURALMENTE TRATADO. Que Ariadna aprenda com tudo isso, que ela tem que ser ela, e que se procurou se esconder daquilo que todo mundo sabia, então ela mesma não sabe quem ela é. Perdeu, perdeu playboy! Foi para casa mais cedo.

    January 20, 2011 at 1:49 pm

  29. >Se a eliminação de Ariadna tiver mesmo raízes homofóbicas, o fato de um gay assumido já ter vencido uma edição do programa também não deve ser descartado. A sociedade em geral está preparada apenas para aquilo que chamo de gays talentosos, isto é, pessoas cuja trajetória de vida ou aptidões profissionais ofuscam suas orientações sexuais.Não à toa, já ouvi um colega dizer que "Freddie Mercury era bichona, mas cantava muito". Note-se aí um advérbio de oposição colocado de maneira inadequada. O fato de os ex-vocalista dos Queen ser uma lenda viva do hard rock oitentista não contradiz sua homossexualidade. Trata-se de um caso raro de gênio capaz de causar admiração velada até nos mais conservadores. Não é o caso de Ariadna.Não exige-se que ela (ou ele, pouco importa) seja a cult transex que jamais foi, como também não se deve exigir do público que alimente afeto por uma pessoa sem carisma, incapaz de defender sua permanência na casa com argumentos lógicos e cuja história de vida, a meu ver, não é pontuada por atos de superação. Pensar que ela deva ser melhor avaliada que os outros dois brothers de paredão, se não outra forma de preconceito, é um baita protecionismo.

    January 20, 2011 at 2:45 pm

  30. >ELA È MULHER, a pelo amor de Deus, a Ariadna, é mulher começou a mudança do seu corpo com 11 anos, ele nunca foi homem, acorda não é obrigação dela ficar defendendo os gays.

    January 20, 2011 at 3:15 pm

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s